Obrigada pelas avaliações boas

As vezes em dias como estes, quando as nuvens tocam no chão e tudo é cinzento ….. quando chove ao acordares e já sabes que vai ser assim o dia todo ….. quando quase escorregas no pavimento ….. quando andas e não vês uma poça, molhando o sapato ..… quando sabes que tens que fazer trabalho de contabilidade (o melhor tipo de trabalho que podes fazer com este tipo de tempo) ..… quando o computador está lento e claramente não quer trabalhar ….. quando finalmente os e-mails aparecem com as respostas de potenciais hóspedes, e apesar de ela dar se ao trabalho de mandar um e-mail (obrigada), a mensagem que eles vão para outro sítio não é o que eu quero ler, especialmente agora …..

então vais começar a pensar:

oooooooo, porque é que faço isto tudo?

Nessas situações tens que respirar profundamente.

Nessas alturas eu estou a procura de consolação. Eu penso coisas como:há milhões de pessoas a volta do mundo que têm problemas muito mais graves que tu, querida, vergonha – tens uma boa vida!

Ajuda um pouco. 

Eu abro o facebook, e de repente leio isto:

Já foi a alguns anos, mas tivemos uma estadia maravilhosa!”

E a filha, agora uma mulher adulta, responde: “Que férias agradáveis que tivemos (emoji: coração) gostei muito”

Suspiro profundo. Avaliações boas estão sempre bem-vindas, mas às vezes mais, como num dia quando os nuvens ficam até o chão. Obrigada pelas palavras simpáticas. Ajudam. Mais, faz favor, mais avaliações boas!

Depois disso recebi uma avaliação muito boa de campistas recentes por mail. Eles pensavam ficar duas noites, mas ficaram três, e classificaram nos com 9 e 10 (numa escala de 10). Especialmente gostaram de tomar banhos com esta água excelente, não se preocuparam com as instalações antigas. Ao contrário, é raro, especial e rural.

Disseram: “É como tomar banho no passado.”

 

Logo a seguir, outra vez no facebook, outra pessoa mandou um comentário sobre um experimento que fiz algumas semanas atrás: eu li um blogue num vídeo que publiquei. A seguir ao video:

My wife and I stopped here in august, had a quick tour with Audrey (volunteer?) and a couple of drinks in the shade. Beautiful and peaceful place.

I am from around here, used to do that walk with a few neighbours from the train station to our town untill the age of 16 when I left.

Alltough I don’t go there twice or even once a year: like most immigrantes in Euro countries.

I am, and will be to the end, part of this amazing puzzle of towns that surround Vinha da Rainha.

My mother is the LAR (old people’s home), there’s her house and abandoned properties.

I don’t take to Facebook too often but I felt your sinceraty and humbliness adressing this issue, that was never an issue with you, kill two birds with one stone.

Congratulations – sign me up; looking forward to spend a few days there in the near future.

Also I want to kill one more bird with this stone..

You had a vision when others build new mansions up high on hills.

Many like to look down on people. They know who they are.

This place is amazing and with the new hotel within walking distance.

The vast land – wow!

The fields, I love this place.

I promote it and would invest in it.

Best wishes……this Portughese/canadian citizen (not imigrante do Canada for the ones that make that mistake)

When I visited, your portugese is better than most locals and very poetic.”

 

Já melhorou muito. Até consigo ver alguns raios de sol.

A pior parte já passou.

.

Cada semana um pequeno blog sobre o que acontece ao nosso redor, nas Termas-da-Azenha e em Portugal. Alègre, leve, uma leitura fácil. Alguns minutos noutro mundo. Se gosta ter uma experiência connosco, ligue 916 589 145, e descobre o nosso site – temos descontos interessantes para si!

Pode subscrever:

 

Mandamos-lho todos os fins-de-semana.

No domingo, parte da manhã o publicamos na nossa página do Facebookno Google+no Pinterest,  e em terça-feira em LinkedIn.