As minhas férias ideais

“Pfiiiiiiiiiiiiiiitoiiiiit! Pfitpfitpfitpfit! Pfiiiiiiiiiiiioiiiiit! Pfitpfitpfit!” “Djzingeliiiii djzingeliiiii poetpoetpoetpoet.” “Fiepfiepfiepfiepfiep, fiepfiepfiepfiep.”

“Tsjietsjieprrieuw. Tsjieprrieuw.”  “Gûbibi gûbibi gûbibi …”

.

.

.

.

.

.

.

.

Esta conversa parece ser bastante jovial. Eu não penso que eles têm uma disputa, mas o que têm a dizer um ao outro? Ao prestar atenção consegues ouvir que a conversa é variada, é pena que eu não os percebo.

Mas às vezes parece que consigo perceber um pouco:

Prrrrrrrrrrrrrrrrrrrt! um quer entrar no grupo, mas: “Gûwiewiewiewiewiewie!”, não não, certeza que não, ‘bora!: “Gewingjinggewingjinggewingjing!” “Prrrrrrrrrrrrrrrrrrrroeiiii!”

Engraçado. A luz no outro lado das minhas pálpebras promete muito, tal como o cantar dos pássaros.  

Suspiro.

Uma cama confortável.

Não quero sair já, mas tenho que.

Ir à casa de banho.

E café.

As necessidades diárias de uma vida humana.

Pois é! Eu estou de férias! As minhas férias ideais!

Eu posso vestir o meu quimono e ir tomar pequeno-almoço. Isto é o que me atraiu à promoção destá aldeia – podes encomendar o teu próprio quimono, e tentá-lo cá.

Todos os dias têm um pequeno-almoço japonês – isso quer dizer toda a gente no seu quimono, podes vir quando quiseres (das 8 às 10) e não tens que ser sociável se não queres. Também podes estar no sol à ler com um café e um croissant. Servem arroz e sopa miso – o pequeno almoço japonês, mas ninguém come isto. Todas preferem o café e o bolo.

A principal razão para reservar foi porque este arranjamento é para mulheres acima dos 45. O limite de idade não é muito estrito, porque também há uma de 42. Não é um grupo muito grande, 9 mulheres no total. Muitas são solteiras, há duas que se conhecem, são amigas, mas de resto não nos conhecemos.

Há um programa, mas não é obrigatório. Hoje, tal como todos os dias meditamos por volta dàs 10 (durante mais ou menos meia hora), e depois vamos passear. Há uma grande biblioteca, por isso eu acho que hoje vou ficar cá, como vi um livro interessante. Há uma espreguiçadeira convidante perto da piscina, com um pouco de sombra. Maravilhoso!

E ir passear …

bem, eu sou um pouco velha para isso … é um passeio de 16 quilômetros – por isso vou dar um pequeno passeio depois do almoço.  

No dia seguinte vou participar à oficina de mosaícos artísticos. Sou grande fã. Talvez vou procurar na net, hoje à tarde, para encontrar imagens inspirativas.

No próximo dia podes continuar com os mosaícos ou podes ter uma massagem. Ou podes seleccionar um tecido para o quimono, que será feito por uma costureira portuguesa. Ou ainda podes ter uma oficina culinária.

A comida é muito boa

.

.

.

.

.

.

.

.

Essa oficina trata da comida indonesiana! Sou vegetariana, mas podes exagerar tudo, por isso quando falamos sobre bife bem preparado, os meus princípios são abandonados rapidamente.

As minhas crianças sempre chamavam-me  “vegeterrible”.

.

“Não vens?” pergunta a Ana, uma mulher ruiva, “eu já não sei se vou …”

“Encontrei um livro interessante”, dizemos ao mesmo tempo, e temos que rir.

“Desde que não é o mesmo livro”, diz a Ana rindo, “qual é que escolheste?”

“É um livro de Stephen King, nunca li uma coisa dele”,  admito com um sorriso, “mas parece ser um page turner, por isso devo acaba-lo em dois dias. Apesar de tentar ler o fim de um livro mais lentamente. Que demora mais tempo …”

“Ah!” a Ana está surpreendida,  “faço isso também! Engraçado! Mas Stephen King é bastante assustador!”

Sim vou ter uma boa semana cá. Parece que há algumas pessoas interessantes aqui. 

.

.

Nós viemos para portugal em 2000 de Roterdão, Holanda para as Termas da Azenha, Portugal. Um passo grande, especialmente com duas crianças pequenas. Estamos ocupados a reconstruir um sítio que é considerado uma herança cultural.

Termas da Azenha, são termas antigas que transformamos em casas de férias, quartos e campismo, com piscina. Vai encontrar mosaicos e pinturas em todo o lado. O balneário velho agora é um museu.

Cada semana um pequeno blog sobre o que acontece ao nosso redor, nas Termas-da-Azenha e em Portugal. Alègre, leve, uma leitura fácil. Alguns minutos noutro mundo. Se gosta ter uma experiência connosco, ligue 916 589 145, e descobre o nosso site – temos descontos interessantes para si!

Pode subscrever:

 

Mandamos-lho todos os fins-de-semana.

No domingo, parte da manhã o publicamos na nossa página do Facebook, no Google+, no Pinterest, e em terça-feira em LinkedIn.