Cortar uma palmeira de 15 metros

“Para, estúpida, podes perguntar não podes?” Muitas das vezes estou mal educada comigo própria, mas já estou habituada. Eu vinha da Figueira e passei um sítio com árvores caídas. Ainda estão pessoas a trabalhar. O som de motos serras não é muito atraente, por isso a tendência para acelerar.

Mas estava à procura de um especialista algum tempo, por isso isto é uma oportunidade.

É melhor verificar

Portanto, paro, faço marcha atrás, e saio do carro. Esta uma mulher no início, um tipo de supervisor. É bastante comum – uma equipa de homens a trabalhar com uma chefe. É engraçado, que num país tão tradicional isto é comum, mas não tenho tempo para este tipo de filosofia, tenho que concentrar no que perguntar.

É fácil. Hey, não és a dona das Termas, eles perguntam? Sim, e o seu filho não atendeu a escola do Paião? Mais uma vez sim.

Tenho um desafio para vocês

Tens que facilitar um problema – aprendi que olhar severo é contagioso. Se o fazes a outra pessoa também o faz, e é um indicador “Uh-oh, cuidado, dificuldades, uma pergunta difícil, melhor não interferir, antes de mais encontras-te numa situação incómoda!” – e então vais num caminho muito desagradável.

Eu gostaria que eles vêm cortar uma palmeira alta, que também está num lugar difícil.

Uma palmeira é um atributo muito atraente para turistas. Desculpa

Elas são criaturas vis, cheias de fibras resistentes que arrombam uma motoserra rapidamente, e com seiva acida que cheira algures entre um caixote de lixo e um saco com vestuário usado.

Ninguém gosta dessa experiência – pelo menos ninguém com alguma experiência!

Quando estava viva, já queria saber qual seria a altura máxima de uma palmeira, e quando para de crescer, e o que acontece quando isso acontece. Este parece ter “síndrome torre-de-Babylon”.

Todas estas perguntas são irrelevantes – a palmeira morreu por causa dos escaravelhos.

Larvas de escaravelho comem a palmeira. Tinha várias palmeiras que morreram, mas estas eram muito mais baixas. Elas caíram. Isso não era um problema, mas isto era uma história diferente. Isto era uma palmeira de 15 metros de altura.

Ah! Eles conhecem o sítio (Termas da Azenha normalmente é conhecido em toda a região devido a água) e eles até viram a palmeira, eles passam de vez em quando. Nós combinamos para o próximo sábado, para eles virem dar uma olhadela.

Eu volto para o meu carro, muito contente e alegre, e então realizei-me que o fiz outra vez. Eu já devia saber melhor!

Eu deixei o meu número, mas não levei o deles.

Raios!

E claro, como sempre: no próximo sábado – ninguém aparece

Eu já me habituei a muito tempo. É assim que as coisas são em Portugal.

Oito sábados mais tarde, quando estou a almoçar, alguém está a chamar-me na rua: “Olá, olá, dona Helena!”- dois homens no passeio. Um deles eu reconheço vagamente – lembro-me dele? Um … sim …

Torna-se muito claro rapidamente, é óbvio que eles não vieram para falar, eles vão cortar a palmeira.

Ok, bom, um … o que pensam … como é que vão …?

Não há problema eles eles vão descobrir uma maneira. Eles querem saber se tenho uma escada?

A escada parece ser muito ineficiente, por isso cortar do topo para baixo não vai trabalhar. Então eles cortam a na base. É apenas uma questão de cortar um triângulo no sítio certo, e o outro com uma corda puxa.

Para mim isto é um nível muito alto de “let it go” – e para eles também

Se essa palmeira vai cair noutra direção, não há homem ou corda que o vai mudar de direção, penso eu. Ok confiança, eles sabem o que fazem.

E tudo acaba bem. Aquele monstro de 15 metros com pelo menos 1 metro de diâmetro e tanta massa que só pode cair numa direção, deixando uma margem de erro de cerca 0.1%.

Ele acaba por cair exatamente no sítio certo. Nem sequer toca na nespereira. Incrível, bem feito.

Extremamente aliviada, eu vou buscar algumas cervejas para os trabalhadores. Quando volto um deles cortou uma cadeira na base da palmeira.

Oh bem, sim, fácil …

 

.

.

.

.

.

.

.

.

Cada semana um pequeno blog sobre o que acontece ao nosso redor, nas Termas-da-Azenha e em Portugal. Alègre, leve, uma leitura fácil. Alguns minutos noutro mundo. Se gosta ter uma experiência connosco, ligue 916 589 145, e descobre o nosso site – temos descontos interessantes para si!

Pode subscrever:

Mandamos-lho todos os fins-de-semana.

No domingo, parte da manhã o publicamos na nossa página do Facebook, no Google+, no Pinterest, e em terça-feira no LinkedIn.