Como NÃO ser eficaz

“Isso não te deixa maluca? Não é muito eficaz!”

A Shana olha para mim, ela mesmo quer saber, porque ela e o namorado dela também querem fazer algo como faço.

“Sim, claro que deixa”, eu admito, “Às vezes. Mas se não consegues adaptar-te aos costumes dum outro país, é melhor não ires viver aí. Por isso naqueles momentos que não aguento, dou uma pancada no saco de boxe, isso alivia o stress, e continuo com a minha vida!”

.

A Shana agora está aqui sozinha, por isso falamos sobre tudo e mais alguma coisa

Nos 16 anos que tenho estado a construir as Termas da Azenha, trabalho com voluntários, normalmente um grupo por volta de quatro. Às vezes menos. Mas agora a Shana está cá sozinha, apesar dela saber isso ela ainda queria vir. Para descansar – para escapar por um momento – para a experiência, mas também porque ela adora Portugal!

Falamos sobre paciência, uma coisa que precisas de ter, para fazer qualquer coisa

E que uma apontamento às 10 nem sempre quer dizer, que aquela pessoa vai estar lá as 10.

Nós temos que nos habituar a isso, nós do norte onde somos tão eficientes. Nós chegamos mais cedo antes de chegarmos mais tarde, a não ser que quando estamos doentes, iremos sempre atender os nossos apontamentos. Alemães são mesmo como a sua reputação.

Se por exemplo vamos fazer canoagem e estão holandeses e alemães no grupo, a conversa vai assim:

Eu: “Saímos às 8:45, eu vou a frente, assim vocês podem seguir me. Assim temos tempo que chegue para lá chegar.”

Holandês: “Ok. Às 8:45.” E já começam a olhar para o relógio.

Alemão: “Bom. 8:45. Pünktlich.” E já começam a programar o despertador no telemóvel.

Eu: “Não não não, é o tempo português! Isso quer dizer que saímos por volta dessa hora!”

.

.

Eficazes ou não, mas todas as pessoas acabam a ser muito relaxadas num dia de canoagem

Muitas das vezes eles não compreendem isto

Claramente é difícil para eles. Sei que não é fácil levar um grupo com por volta de 6 carros. Tens que começar cedo. Porque há sempre uma pessoa que vai “Oh! Só mais uma coisa ….!”

Por isso só vais sair às 8:50 ou 8:55.

Entretanto já há pessoas que estão a espera impacientemente, a irritarem-se. São difíceis, pessoas eficazes!

Os Portugueses são mais relaxados nesse aspeto

Muitas vezes hóspedes e de voluntários queixam-se que há muito stress no país deles. Penso que isso tem muito haver com aquela eficácia.

É muito diferente em Portugal. Por outro lado: cá tens que conseguir aguentar que o plano que fizeste para o dia pode ir muito diferente que pensaste.

Continua a rir e segue em frente

Tens que aprender que tens que telefonar antes de ir para um apontamento …. se não o fazes podes ir para nada.

Ouvir sempre que as coisas vão diferente como concordaram – que precisas de mais um formulário, ou outra coisita, ou mais um selo; que pode ficar até para amanhã; faz favor, aguardo um pouco – isso é a realidade, que os teus planos podem ser para nada.

Os meus voluntários também tem experiência com isto. Felizmente as pessoas nas Termas estão sempre relaxadas. Não há prazos e não há patrões zangados.

Apenas fazer coisas e gostar de faze-las! E é isso que conta.

Se é hóspede ou voluntário.

 

Cada semana um pequeno blog sobre o que acontece ao nosso redor, nas Termas-da-Azenha e em Portugal. Alègre, leve, uma leitura fácil. Alguns minutos noutro mundo. Se gosta ter uma experiência connosco, ligue 916 589 145, e descobre o nosso site – temos descontos interessantes para si!

Pode subscrever:

 

Mandamos-lho todos os fins-de-semana.

No domingo, parte da manhã o publicamos na nossa página do Facebook, no Google+, no Pinterest, e em terça-feira em LinkedIn.